Os bons ensinamentos do Xadrez

porAdilson Martins

Os bons ensinamentos do Xadrez

Claro que o título deste artigo leva-nos a crer que o convívio num local de isolamento, como o Xadrez ou Xilindró, pode nos ensinar boas coisas. Com raridade, mas pode.

Se a sensação de viver no isolamento, restrito a banhos de sol em nosso próprio quintal, sem poder fazer festas com muitas pessoas, convivendo com as mesmas criaturas, saindo com máscaras na rua e, em alguns Estados/municípios sob o risco de ser preso, certamente o cumprimento de pena de quarentena suplanta o período etimológico de 40 dias.

Diz a lenda ou versões da história, que o Jogo de Xadrez, fora desenvolvido por um General, acuado com sua tropa dentro de uma caverna, enquanto aguardava as tropas inimigas se afastarem. No entanto, os inimigos não recuaram.

O General, então, buscando manter o espírito guerreiro de seus oficiais e mais ainda, uma visão estratégica de combate, resolveu montar um jogo com pedras e um tabuleiro riscado ao chão. Dessa forma, segundo a parábola, o General criou os elementos conhecidos como: peões (sodados de frente), as Torres (oficiais altos e fortes nas laterais), ladeados por cavalos (que poderiam pular casas),e aos seus lados os bispos (muito comuns na antiguidade quando Reis, Imperadores e Papa centralizavam o poder totalitário). Por fim, no final da infantaria e no local mais protegido do tabuleiro o Rei e a Rainha, sendo o desfecho o encurralar do Rei (cheque) e o decretar de sua morte: o cheque mate!

Nesta história, o General saiu da caverna com a sua tropa (em menor quantidade de componentes) e venceu os adversários numerosas vezes maior, graças à Estratégia e o espírito de vencer de todos.

Trazendo isso aos dias atuais, questiono: você está traçou a sua estratégia de guerra para voltar ao mercado vitorioso ou está esperando o tempo passar e os seus concorrentes irem embora?

Quais as posições de maior conhecimento habilidade você tomará atitude para exercer, num mundo infinitamente novo e, tecnologicamente renovado?

A FIA (Fundação Instituto de Administração) e diversas outras revistas especializadas como Você S.A. e Exame já publicaram reportagens sobre as mudanças que, principalmente o HomeOffice deve exercer na humanidade.

Como estão as suas armas (aplicativos úteis, bom celular, bom notebook e uma excelente Internet)? Claro que, neste último, somos dependentes de infraestrutura das empresas de telecomunicação e legislações, mas é possível fazer escolhas para um upgrade decente ao ponto de obter-se conexões estáveis para videoconferência, trabalho em nuvem e acesso a ERPs via VPN – com serviços de fibra ótica, cuja oferta foi desmembrada por empresas menores e que são subsídios técnicos tão bons quanto as grandes empresas.

Lembre-se: se você não aprender logo a jogar esse Xadrez da vida contemporânea e tecnologicamente inovadora, corre o sério risco de levar um grande cheque mate e, pior, sem saber de onde ele veio.

Sobre o Autor

Adilson Martins administrator

Deixe uma resposta