O diferencial de um profissional de alta performance

porAdilson Martins

O diferencial de um profissional de alta performance

Todos querem a glória do sucesso, mas poucos estão dispostos a “pagar” para alcançar o Everest do diferencial. Investir em leitura, estudos e desenvolver novas técnicas, metodologias e aplicar o seu esforço para resultados e conteúdos reconhecidos por outros profissionais requer horas valiosas do seu final de semana, daquele sono a mais e até mesmo abrir mão dos momentos de lazer.

Tão importante quanto a qualificação técnica, desenvolver-se no conhecimento científico e criar métodos de longeva aplicabilidade e utilidade para profissionais e empresa, se faz quanto ao comportamento de quem as desenvolve. Isso quer dizer: não adianta ser um gênio da descoberta neosecular se você não possui características mínimas de relacionamento interpessoal, comunicabilidade ou trabalho em equipe. Uma pérola dentro de uma ostra, será apenas uma raridade oculta. Saber apresentar-se e demonstrar o seu valor é uma habilidade especial de quem aspira reconhecimentos futuros, sem esquecer-se do valor da humildade.

Profissionais de alta performance conseguem, de maneira dedicada, especializar-se em sua área de atuação, mas também ampliar seu campo de visão e estudo para assuntos correlatos e contribuam direta e indiretamente para didatizar a complexidade de suas descobertas, seus pensamentos e seus resultados. Falar e ser entendido é tão importante quanto ter uma mente brilhante (voltemos ao caso da pérola).

Num mundo contemporâneo alardeado pela tecnologia, é essencial descobrir como os mínimos recursos, aplicativos e ferramentas podem nos auxiliar a transmitir a comunicação em algo que transforme o insano volume de informações gerado, em conhecimento útil e contributivo para a sociedade (civil e política). Amparar as vãs afirmações – do eu acho – por embasamentos sólidos amparados pela ciência é o que faz a diferença para o crescimento cultural de uma comunidade. As incertezas já fazem parte de nosso cotidiano, agora precisamos acertar mais, sabendo onde fica o norte e evitando a tentativa/erro como padrão.

Não menos importante, o fator tolerância, paciência e compreensão são características em extinção, mas que marcam positivamente àqueles que as praticam com compaixão. É preciso entender que toda essa volúpia pelo desenvolvimento, trabalho e expansão de nosso mundo é para tornarmos mais felizes, humanos, confortáveis e proporcionar a sensação de satisfação, mesmo sabendo que este colaborar durante hoje em média de 80 a 90 anos. Reconhecer os seus limites e aceitar feedbacks para melhorar, buscando lapidar-se nesta escultura que chama-se vida.

Parece contraditório, mas ser profissional de alta performance é ser especialista, mas também generalista; ter conhecimento para fazer a diferença na hora do jogo, mas saber jogar em equipe; ser hábil no trato com a tecnologia e explorar o seu potencial, mas não ser escravo dela e, por fim, compreender que é preciso deixar a sua marca para as gerações vindouras, ávidas por qualidade de vida, menos esforço braçal e mais desafio mental – claro, para aqueles que querem ter um diferencial dos profissional de sucesso!

Quer saber um pouco mais sobre este e outros temas, mantenha contato conosco: www.adilsonmartins.com.br

Sobre o Autor

Adilson Martins administrator

Deixe uma resposta