O ciclo da VIDA!

porAdilson Martins

O ciclo da VIDA!

Muitas pessoas ainda se emocionam com o remake do “O Rei Leão”, e é de emocionar mesmo. Mas, não conseguem refletir que o ciclo da vida é uma constante, diante das inúmeras variáveis que a vida nos impele. Não adianta, esse ciclo é contínuo.

Aos 33 anos de idade ousei escrever algumas linhas que resultaram numa pequena obra literária, cujo título “Amálgama Divina” convida o leitor a compreender nada mais que o ciclo da vida, o alinhamento com Deus e, afinal de contas, o que estamos fazendo neste planeta cuja nossa vida é falível.

Para àqueles que acreditam num ente Superior e Criador, somos agraciados com a oportunidade de nos lapidar, tiras as escórias da inveja, maldade e todos os demais adjetivos negativos que maculam o espírito que justificam a aparência e semelhança de nosso Criador Celeste. Dentro deste ciclo, assim como em “O Rei Leão”, da Disney, buscamos em nossa família o melhor de nosso aprendizado, encontrando amizades sinceras e descobrindo que nem todos comungam do mesmo pensamento, objetivo e ideais.

Somos falíveis, mas não imaginamos que haja um fim. E realmente não há!

O planeta já existia quando chegamos, pegamos praticamente tudo pronto, ajudamos no seu desenvolvimento e quando encerramos a nossa jornada, esperamos que aqueles que ficam continuem o ciclo de melhoria. Mas, afinal de contas, quando terminamos a nossa jornada aqui, para onde vamos?

Não há razão alguma para que essa jornada tenha fim, apesar de ter tido começo. Ela continua, em outra instância, agora austral, espiritual e cheia de conforto em outro plano que não há mais ciclos, mas eternidade de paz e alegria. Como ter tanta certeza? Se existe uma vida inteligente que nos Criou e nos mantém vivos dotados de inteligência, essa vida não quer que este ciclo seja finalizado aqui, mas evoluído para que o Universo continue a expansão, com energia limpa, pura e mais próximo à imagem e semelhança de quem a gerou.

Por isso, lembremos de nossa responsabilidade em manter o ciclo: é o momento de rever os nossos conceitos e darmos o nosso melhor àqueles que deram o melhor por nós, ou seja, a nossa família, em especial os nossos pais. Não apenas presentes, abraços e beijos nos dias festivos que demonstrarão totalmente este carinho, mas na amabilidade diária, de saber que os valores transferidos foram frutificados e que entendemos o sentido deste ciclo, afinal, todos nós, presentes e ausentes, um dia vamos nos reencontrar.

Que tal facilitar as coisas e fazer o que DEVE ser feito enquanto há tempo? A ampulheta já aponta o entardecer. Profecias, sociedade e cosmos sinalizam que logo ocorrerão profundas mudanças e quem não tiver colaborado para lapidar a si mesmo, permanecerá pedra bruta que não adornará o reino prometido, mas ficará como base escondida, sem o desfrutar da colheita do novo e final ciclo da vida.

O que representa este texto? Filosofia da vida de quem encontra nas palavras uma forma de demonstrar a sua fé em Deus e o amor em sua família, especialmente em seus pais.

Sobre o Autor

Adilson Martins administrator

Deixe uma resposta