Habilidades dos profissionais do futuro

porAdilson Martins

Habilidades dos profissionais do futuro

Muito se fala, mas pouco objetivo são os textos encontrados hoje pela Internet, a respeito do futuro profissional.
Analisando as inteligências múltiplas de Howard Gardner, percebemos claramente que a informática, robótica e automação estão tomando conta de nosso espaço (ou seria nós que estamos permitindo essa tomada?).
De todas as 7 principais inteligências (Matemática, Linguística, Espacial, Musical, Psico-Motora, interpessoal e intrapessoal), apenas a interpessoal e intrapessoal “ainda” não sofrem com a modernidade tecnológica, de maneira direta.
Logo, ter consciência de que o sistema computacional é mais eficiente nas demais inteligências, nos dá um ganho para utilizar este sistema a nosso favor, inclusive com o investimento de mais tempo naquelas onde o ser humano ainda pode reinar: pessoas!
Agregando a este conhecimento as habilidades futuras (interpessoal e intrapessoal), destacamos a intrapessoal (autoconhecimento e autocontrole) como a base para o desenvolvimento das demais inteligências. Afinal, quem não se conhece, dificilmente conseguirá interagir de maneira eficaz com o mundo exterior.
Perceba ainda que, muitos “gênios” e profissionais diferenciados em diversas áreas possuem grandes lacunas existenciais quanto ao relacionamento intrapessoal (trabalho em equipe) ou aceitação de seus próprios defeitos. Afirmo ainda que muitas pessoas desconhecem o seu verdadeiro potencial e as suas reais qualidades pessoais e profissionais.
Portanto, agregado às inteligências intrínsecas ao ser humano (repito, por enquanto), destacamos ao profissional do futuro outras duas características essenciais: criatividade e informática.
Criatividade: o ser humano é o único capaz de conceber ideias e delas transformar em realidade aquilo que fora pensado. Seja para melhorar um produto, serviço ou processo, ou até mesmo para criar algo antes nunca utilizado – veja o exemplo do Smartphone, que há algum tempo não existia e hoje é quase uma extensão do corpo humano. Assim, podemos afirmar que todos nós somos criativos, pois pensamos, logo conseguimos imaginar. A dificuldade dos profissionais está em transformar este pensamento criativo em algo real, ou seja, inovar, fazer nascer em nosso mundo concreto o que fora abstratamente desenvolvido.
Informática: muito além do que navegar na internet, saber utilizar as redes sociais ou operar o pacote Office de um sistema, a informática exigirá do profissional do futuro conhecimentos básicos de programação, processamento e análise de resultados. Segundo a Code.org – instituição sem fins lucrativos, a expectativa é que em 2020 haverá uma demanda de 1,4 milhão de novos programadores, no entanto, apenas 400 mil estarão formados até então. Logo, em conta rápida, teremos apenas nos Estados Unidos mais de 1 milhão de vagas em aberto para esta área. E no Brasil? Provavelmente ainda mais, pois a formação de programadores é mais lenta e voltadas para jogos e fins menos industriais.
Dica dada! Agora, antes de precisar #correratrás, desenvolva estas habilidades e coloque-as em prática, se quiser ser um profissional com potencialidades empregatícias a médio prazo.

Sobre o Autor

Adilson Martins administrator

Deixe uma resposta